Presbiopia

O que é a presbiopia?

A presbiopia ou “vista cansada”, é uma piora natural da visão para perto geralmente percebida nas pessoas a partir da quarta década de vida (40-45 anos).

Quais os sintomas?

O primeiro sinal de presbiopia é a dificuldade na visão de perto, como por exemplo, nos trabalhos manuais e na leitura. Os textos impressos não parecem nítidos, podendo ocorrer dor de cabeça, ardência e irritação ocular na tentativa de realizar a leitura. É comum o presbita afastar o texto ou os objetos dos olhos na tentativa de obter uma maior nitidez, já que a sua visão para longe geralmente está preservada. Como a presbiopia aumenta progressivamente, cada vez mais o paciente irá afastar o seu objeto dos olhos, chegando em um ponto em que a sua visualização ficará inviável.
A maioria dos míopes, mesmo após a quarta década, podem enxergar bem de perto quando retiram o seu óculos ou as lentes de contato. Porém, mais cedo ou mais tarde, mesmo esses pacientes acabam apresentando a presbiopia.

Qual a causa da presbiopia?

A medida que envelhecemos, o cristalino perde a elasticidade de sua cápsula e aumenta de tamanho, e os músculos ciliares diminuem a capacidade de contração para modificar o formato do cristalino, causando falta de focalização para as imagens de perto. Este processo é progressivo, e piora com o aumento da idade, mas normalmente se estabiliza ao redor dos 60 anos.
Embora o resultado desta anomalia seja semelhante ao da hipermetropia, as causas são muito diferentes.

Quais são as opções de tratamento disponíveis?

Óculos:
A correção deste processo é realizada com o uso de lentes corretoras multifocais, bifocais ou pelo uso de óculos para leitura.
As lentes multifocais (progressivas) são as mais adequadas à compensação da presbiopia, por serem as únicas que lhe possibilitam uma visão mais aproximada da natural. Esta lente funciona quase como o uma lente de uma máquina de filmar com zoom. A transição entre os diferentes campos de visão (longe-intermediário-perto) é suave. As lentes multifocais não são todas iguais. As lentes com maior qualidade permitem ao usuário ter um campo de visão mais amplo e a transição entre as visões de longe-intermediário-perto serem mais suaves para que se tenha uma compensação mais fácil da presbiopia.
As lentes bifocais são aquelas onde se nota uma diferenciação brusca entre a parte para visão de perto e o resto da lente para longe (arco em meia lua na parte inferior da lente). Não existe campo de visão intermediário. O aspecto estético da lente é desfavorecido em relação às multifocais, que aparentemente são lentes normais.
O óculos para perto possui a desvantagem de proporcionar visão somente para perto. É necessário olhar por cima das lentes para olhar ao longe ou tirar o óculos.
Lentes de Contato:
Também podem ser usadas lentes de contato para tratar a presbiopia.
Multifocais: ambos os olhos estarão focalizando para longe e perto.
Monovisão: um dos olhos terá uma lente de contato para visão à distância, e o outro olho terá uma lente de contato para visão de perto.
A adaptação ao uso das lentes de contato vai depender de uma série de fatores que o médico oftalmologista irá verificar durante o teste de lente de contato.
Cirurgia:
A opção cirúrgica se reserva aos pacientes com mais de 40 anos de idade e que satisfaçam alguns critérios.
Cirurgia a Laser: Neste tratamento, o laser modifica a curvatura da córnea e, com isto é possível obter a monovisão, ou seja, um olho vê melhor para longe e outro para perto, o que diminui os sintomas da presbiopia. Dessa forma, após o tratamento, o paciente poderá deixar de usar óculos de leitura. Como o tratamento não interrompe o processo de envelhecimento do cristalino, o procedimento não é definitivo e pode ter que ser repetido. Esta técnica é mais indicada para os pacientes que estão na fase inicial da presbiopia.
Cirurgia de Implante de Lente Intra-ocular Multifocal: Consiste na substituição do cristalino por uma lente intra-ocular multifocal que corrige o grau de perto e longe. A vantagem da lente intra-ocular é que o resultado tende a ser definitivo e que ambos os olhos funcionam para longe e para perto ao mesmo tempo, proporcionando uma melhor visão que a cirurgia a laser. A cirurgia é feita com anestesia tópica ou local, e dura aproximadamente 20 minutos, sem necessidade de internação e com alta imediata. O procedimento é realizado primeiro em um olho e posteriormente entre 1 a 2 semanas no outro olho.
A escolha da lente intraocular a ser implantada, vai depender do grau prévio que o paciente possuía e do resultado dos exames pré- operatórios. Pode ser que em determinados casos não exista uma lente que consiga se encaixar ao perfil do paciente. Sendo assim, cada situação cirúrgica deve ser analisada em particular, sendo então indicada a melhor lente para cada caso, ou até mesmo contra-indicada a cirurgia.


© 2016 Instituto de Oftalmologia de Araucária - Todos os direitos reservados